Com 1.000 mortes por Covid, Vale tem média de 6 óbitos por dia

O Vale do Paraíba deve ultrapassar a triste barreira de 1.000 mortes em decorrência do novo coronavírus nesta segunda-feira (31), quando as prefeituras divulgarem os números completos da pandemia do final de semana.

Até domingo (30), a região acumulava 971 óbitos em decorrência do novo coronavírus, além de 33.193 casos confirmados.

A região completou cinco meses do registro da primeira morte por Covid, no final de março. Com isso, a Covid-19 tem média de seis mortes por dia na região.

Em comparação, as mortes por homicídio doloso e latrocínio acumulam 189 no Vale de janeiro a julho deste ano, com média de 0,9 óbito por dia.

Mesmo sem os números completos da Covid-19 do final de semana, o mês de agosto registra 40% das mortes totais pela doença na região desde o início da pandemia, com 389 óbitos. Julho teve 336 (35%). Juntos, agosto e julho têm 725 óbitos, 77% da totalidade.

Na avaliação do estatístico Paulo Barja, professor da FEAU (Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo) da Univap (Universidade do Vale do Paraíba), julho e agosto se configuram como uma espécie de “segunda onda” da epidemia na região.

“Vejo alguns fatores associados, mas o surgimento da segunda onda de contágio evidencia-se cerca de duas semanas após a flexibilização, o que sugere relação entre reabertura e aumento do contágio”, disse ele.

Barja lembrou que a retomada foi acompanhada de redução do isolamento social e máscaras utilizadas de modo inadequado ou não utilizadas.

“Não só na região, como até mesmo em outros países observa-se fenômeno semelhante”, afirmou o especialista.

Taubaté cria semana de conscientização sobre doenças raras

Taubaté cria semana de conscientização sobre doenças raras

A Câmara sancionou na  a lei que cria o Dia Municipal de Informação e Conscientização Sobre Doenças Raras e a Semana Municipal de Informação e Conscientização Sobre Doenças Raras.

As datas já foram inseridas no calendário oficial da cidade. A última semana de fevereiro será dedicada ao evento, e o último dia deste mês marcará a data municipal.

O objetivo da criação do projeto é conscientizar a população e criar mecanismos para melhor condição de saúde e vida para portadores de doenças raras e suas famílias.

 As atividades contarão com debates, palestras e campanhas de esclarecimento.

Campanha de vacinação antirrábica é suspensa no Estado de São Paulo

Campanha de vacinação antirrábica é suspensa no Estado de São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo suspendeu a Campanha de Vacinação Antirrábica 2020 em todos os municípios.

 A informação foi confirmada recentemente pelo Governo, por meio da Coordenadoria de Controle de Controle de Doenças do Instituto Pasteur, vinculado à Secretaria de Estado da Saúde.

A nota técnica nº 01 foi publicada oficialmente no último dia 10 de agosto.

Com a suspensão, os municípios não receberão as doses da vacina para realização da campanha em massa destes animais.

 A suspensão da vacinação ocorre devido a uma recomendação do Governo Estadual que alega desabastecimento do material devido ao atraso no repasse feito pelo Ministério da Saúde, que atribui à crise sanitária imposta pela pandemia do novo coronavírus.

A justificativa é de que, no momento, com a impossibilidade de repasse mensal de doses da vacina antirrábica, do Ministério da Saúde para o Estado em quantidade suficiente para cobrir a demanda, o Instituto Pasteur manterá o estoque estratégico apenas para o bloqueio de foco de eventuais casos de raiva em cães e gatos.


Diante da notícia, o Abrigo de Animais da Prefeitura de Pindamonhangaba informa que não será possível a liberação para a realização de vacinação em estratégia de rotina, sendo suspensa essa atividade até que haja a regularização de repasse. A recomendação é para que aqueles que tiverem condições levem seus animais para vacinação em consultórios veterinários.

A raiva é um vírus zoonose, ou seja, que pode ser transmitido do animal para o homem. Ainda que seja considerada incomum nos dias de hoje, gera muitas preocupações pois é fatal em quase 100% dos casos. Essa doença contagiosa é transmitida através da saliva de animais contaminados, por isso, sua principal forma de propagação é a mordida.

Brasil registra 3,6 milhões de casos de covid-19 e 114,7 mil mortes

Brasil registra 3,6 milhões de casos de covid-19 e 114,7 mil mortes

O Ministério da Saúde informou no ultimo domingo dia 23 que o Brasil está com um total de 3.605.783 casos confirmados de covid-19 desde o início da pandemia.

 Entre sábado dia 22 e domingo dia 23 ,foram notificadas pelas secretarias de saúde dos estados e municípios mais 23.421 pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus.

 O número total de óbitos pela doença é de 114.744, sendo que 494 foram registrados nas últimas 24 horas.

As estatísticas são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de registro dos dados pelas secretarias de saúde aos fins de semana. Já às terças-feiras há tendência de números maiores em função do acúmulo de registros que são enviados ao sistema do Ministério da Saúde.

A atualização do Ministério da Saúde registrou ainda 752.004 pessoas em acompanhamento e outras 2.739.035 que já se recuperaram da doença.

A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 3,2%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 54,6. A incidência dos casos de covid-19 por 100 mil habitantes é de 1715,8.

Prefeitura de Taubaté anuncia inauguração do AME para novembro

Prefeitura de Taubaté anuncia inauguração do AME para novembro

No mês em que foram completados cinco anos do início das obras, o governo estadual informou que espera inaugurar “até novembro” o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Taubaté.

A declaração foi dada pelo secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, em um vídeo publicado pelo prefeito Ortiz Junior  nas redes sociais.

“Estamos trabalhando para até novembro ter esse equipamento importante funcionando em Taubaté”, disse o secretário.

Na gravação, Vinholi e Ortiz estavam no prédio do AME – as obras são realizadas pelo município, mas custeadas pelo governo estadual.

Além do AME, está sendo construído no local o Centro de Reabilitação Lucy Montoro. Não foi informada uma previsão de quando essa unidade será inaugurada.

Prefeitura de Taubaté vê estabilidade dos indicadores da Covid-19

Prefeitura de Taubaté vê estabilidade dos indicadores da Covid-19

A Prefeitura de Taubaté divulgou nesta quinta-feira dia 20 os números de um balanço da Vigilância Epidemiológica, que segundo a administração municipal representa “estabilidade” no enfrentamento ao coronavírus.

Os cinco indicadores levam em conta valores mínimos e máximos, além das médias obtidas entre os dias 1 e 20 de agosto. São observadas as taxas de isolamento social, ocupação de leitos de UTI, variação diária de novos casos, quantidade de pacientes internados e a taxa de letalidade.

Em relação ao isolamento, o município piorou o índice após o retorno gradual das atividades comerciais, com a flexibilização. A melhor taxa foi apresentada no dia 3 de agosto, com 49%, enquanto o pior foi registrado nos dias 14 e 15 de agosto, com 37%. A média foi de 40,5%.

Já a taxa de ocupação dos leitos de UTI HMUT/UPA Central seguiu estável, com uma média de 46,9% em 20 dias. A variação diária de novos casos confirmados chegou a uma média de 2,44%.

Em relação ao número de pacientes internados diariamente – entre casos confirmados e suspeitos – a Vigilância Epidemiológica aponta uma média de 107 neste mês. Em julho a cidade ultrapassou a marca de 100 pacientes internados somente no dia 26.

A taxa de letalidade do coronavírus atingiu uma média de 2,9%. Apesar dos números apresentados pela Prefeitura, nota-se um aumento de registros de óbitos por Covid-19 nos primeiros 20 dias de agosto (35), em relação aos primeiros 20 dias de julho (26).   

CCZ Taubaté agenda consultas veterinárias para animais de famílias de baixa renda

CCZ Taubaté agenda consultas veterinárias para animais de famílias de baixa renda

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Taubaté iniciou este mês o agendamento de consultas de clínica veterinária para animais de famílias de baixa renda.

Entre os critérios a serem seguidos para a triagem das famílias, por exemplo, está a apresentação do Número de Identificação Social (NIS) obtido no Cad Único.

O telefone de contato para o envio de mensagens por whatsapp para agendamento é o 99711-8747. Os contatos podem ser feitos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

As consultas serão realizadas às terças e quintas-feiras, mediante agendamento prévio e de forma espaçada para evitar aglomerações no CCZ durante este período de pandemia.

Inicialmente devem ser feitas cerca de 20 consultas semanais, podendo chegar até uma média de 100 procedimentos mensais.

As consultas serão gratuitas, porém eventuais exames e medicamentos devem ser custeados pelos proprietários dos animais. Casos ortopédicos, casos de resolução cirúrgica ou outros em que haja necessidade de intervenções mais complexas serão avaliados pelo profissional responsável pelo atendimento.

O CCZ fica na Estrada dos Remédios, 2764.

Campanha Agosto Dourado: Mães com covid-19 devem continuar amamentando

Campanha Agosto Dourado: Mães com covid-19 devem continuar amamentando

Agosto é celebrado nacionalmente como o Mês de Aleitamento Materno desde 2017. O período também é chamado de Agosto Dourado, cor que simboliza o padrão ouro de qualidade do leite humano, líquido essencial para a vida e o desenvolvimento do bebê. Mas, em meio à pandemia de covid-19, a preocupação das mães com a amamentação aumenta. . E uma dúvida surge: mulheres que contraíram a doença podem amamentar normalmente?

Para a coordenadora da assistência em aleitamento materno do Banco de Leite Humano (BLH) do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz (IFF/Fiocruz), Maíra Domingues, que é enfermeira pediátrica, os estudos feitos com amostras de leite de mães que tiveram covid-19 indicaram que vírus SARS-CoV-2 não é transmitido pela amamentação.

PUBLICIDADE

“As mães podem e devem continuar amamentando, mesmo estando com sintomas compatíveis com a síndrome gripal ou infecção respiratória, ou mesmo a confirmação para covid-19, se for seu desejo e se estiver em condições clínicas adequadas. Mas é importante que elas utilizem a máscara quando forem amamentar ou realizar algum cuidado com o bebê. E, claro, a higienização das mãos com bastante frequência, antes e depois da mamada ou cuidado”.

Doação de leite
Mas, segundo Maíra, a doação para o BLH está contraindicada para mulheres com sintomas compatíveis com síndrome gripal, infecção respiratória ou confirmação de caso de SARS-Cov-2. Orientação semelhante também se estende para mulheres contactantes, durante o período da viremia.

“Para a doação do leite humano de mulheres que estão com o vírus – suspeito ou confirmado – é importante recomendar a contraindicação temporária da doação pelo período de 14 dias, contados a partir do início dos sintomas. As nossas normas técnicas oferecem uma segurança e garantia da qualidade em todo o processo de coleta, armazenamento, pasteurização, então não houve nenhuma mudança. A única recomendação é que para qualquer doença infectocontagiosa, não só para o coronavírus, a doação é contraindicada até a melhora do quadro”.

Maíra informa que a pandemia obrigou o instituto a mudar alguns atendimentos às mães e pais, mas o serviço não foi interrompido.

“Nós suspendemos os grupos educativos oferecidos no pré-natal, que são grupos para o casal que está esperando o bebê, que eram realizados duas vezes por semana. Na assistência para a mãe que está com dificuldade para amamentar, nós estamos realizando teleconsulta, teleorientação. Em casos em que é necessária a consulta presencial, é feito o agendamento a partir de uma primeira avaliação na teleconsulta”.

A lista e o contato dos Bancos de Leite Humano em todo o país estão disponíveis no portal da rede, assim como recomendações básicas e notas técnicas sobre amamentação e covid-19.

Semana mundial
A primeira semana de agosto é também a Semana Mundial do Aleitamento Materno. Maíra explica que o tema deste ano é Apoie o aleitamento por um planeta saudável, de acordo com os Objetivos Sustentáveis do Milênio da Organização das Nações Unidas.

“O foco é no planeta, porque o leite materno é um alimento renovável, natural, que não traz custo ambiental. O leite humano é ambientalmente seguro e não gera impactos ambientais como os substitutos do leite materno, que são as fórmulas infantis, em decorrência do processo de industrialização”.

E a Semana Mundial do Aleitamento Materno foi encerrada na última sexta-feira (7), com o primeiro mamaço virtual promovido pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

Participaram a atriz Gisele Itié e o filho Pedro, de cinco meses, e os médicos Luciano Borges Santiago, Renato Kfouri e Moises Chencinski, integrantes dos departamentos científicos de Aleitamento Materno e de Imunizações da SBP.

Os eventos promovidos pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira da Fundação Oswaldo Cruz (IFF/Fiocruz) para o Agosto Dourado também estão sendo virtuais, por causa da pandemia. Serão transmitidas três palestras, nos dias 18, 19 e 20 de agosto, com o tema “A importância de apoiar o aleitamento materno nos primeiros 1000 dias de vida para a construção de um planeta mais saudável”. O público-alvo são os profissionais residentes do IFF, mas o evento é aberto a todos os interessados. As inscrições podem ser feitas pelo site www.abre.ai/inscricaosmam.

Rede de apoio
Alheia à pandemia, a vida das mães e bebês continua. Mãe de primeira viagem, a secretária-executiva Suyane Pereira Scen teve Luiza na última quarta-feira (5) e já está em casa. Ela explica que leu muito a respeito dos benefícios da amamentação na internet e fez cursos on-line, além de receber orientações das enfermeiras do hospital onde fez o parto.

“Para o bebê é questão da saúde. O primeiro colostro é muito rico em nutrientes, previne um monte de doença. Depois ajuda ela a engordar, o leite hidrata, engorda. Pelo menos o que eu fiquei sabendo é que nos primeiros seis meses é crucial para a vida saudável. Para a mãe, ajuda a reter sangramento, contrair o útero e outras coisas que nem me lembro, não dormi direito”.

Já em casa, em Brasília, Suyane conta com o acompanhamento de uma consultora para ajudar nos primeiros dias, que são os mais difíceis para a mãe. “Estou amamentando, mas está bem complicado, está machucando. A consultora ensina a pega, que o bebê não pode pegar só o bico porque machuca, tem que pegar a auréola. Questão do primeiro leite, o colostro, e depois como faz para não dar mastite, não empedrar. Ela vai mostrando como deve ser feita a massagem para ajudar a produzir leite. Eu não entendo muito e estou aprendendo com ela”.

A comunicadora de Salvador Christiane Sampaio teve o primeiro filho, Cairu, há 15 anos, e agora está com o bebê Akin, que vai completar um ano dia 27. Ela conta que teve duas experiências bem diferentes com os dois partos e amamentação.

“Meu primeiro filho não colocaram no meu seio assim que ele nasceu; só depois que eu fui para o quarto. Deu super certo e eu o amamentei quase 11 meses. Mas a pediatra me disse que não precisava amamentar mais de 6 meses, só se eu quisesse mesmo. Eu não tinha uma postura muito ativa mesmo”.

Para ela, atualmente a mulher está muito mais consciente sobre a importância da amamentação e existe um ativismo muito mais forte no campo da maternidade.

Ela destaca também a importância das redes de apoio que se formaram em diversos lugares, com mulheres e profissionais que se ajudam e trocam experiências e informações sobre maternidade, parto e amamentação, tudo feito de forma individualizada e mais humanizada.

Taubaté reforça serviço de desinfecção de vias públicas

Taubaté reforça serviço de desinfecção de vias públicas

A Prefeitura de Taubaté registrou o compromisso de manter as ações de desinfecção de vias, unidades de saúde, demais prédios públicos e locais considerados estratégicos para reduzir o risco de infecção pelo coronavírus.

São elencados nesta programação 32 locais fixos, além de mais 32 pontos de ônibus em atividades semanais para manter o efeito residual dos produtos e garantir eliminação do vírus.

O trabalho de desinfecção é realizado por frentes de trabalho formadas pelos agentes do Controle de Animais Sinantrópicos (CAS) e equipes da EcoTaubaté, além do apoio do grupo Farma Conde.

Os produtos utilizados pelas equipes para a desinfecção são o quaternário de amônia e o hipoclorito de sódio. Possuem propriedades desinfetantes e desengordurantes, que têm a capacidade de combater fungos e bactérias, além de minimizar a proliferação do coronavírus.

Go to top