Taubaté tem sete mortes confirmadas por influenza

Taubaté tem sete mortes confirmadas por influenza

Balanço atualizado da Vigilância Epidemiológica de Taubaté indica sete mortes confirmadas por influenza no município até a primeira quinzena de julho. Em todos os casos, os exames deram positivo para o vírus H1N1. No total, são 47 casos confirmados de influenza. O perfil epidemiológico mostra até agora prevalência do vírus H1N1 (40 casos), seguido pela influenza B (5 casos) e H3N2 (2 casos).
No mesmo período do ano passado tinham sido registradas 12 mortes por influenza (11 influenza A não subtipado e 1 H1N1) e 70 casos confirmados da doença com grande prevalência do vírus H3N2 (42 casos).
Existem atualmente quatro mortes suspeitas em investigação. Outras nove mortes foram descartadas.
Taubaté garantiu uma ampla cobertura este ano, com 100.769 doses da vacina contra influenza aplicadas e uma cobertura de 100,41% em relação aos grupos prioritários. O percentual de cobertura superou o do ano passado.
Cuidados
O alerta agora é para o início do inverno, que exige cuidados redobrados por parte da população.  O Ministério da Saúde orienta a adoção de cuidados simples como formas de prevenção: lavar as mãos várias vezes ao dia, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar com papel descartável, evitar tocar o rosto e não compartilhar objetos de uso pessoal, manter ambientes  ventilados, entre outros.
Prevenção e informação são as melhores ferramentas contra a influenza. Não acredite em boatos espalhados pelas redes sociais, que só servem para alimentar o preconceito e gerar insegurança. Retire suas dúvidas com um médico ou uma autoridade sanitária.
Recomendações
Em caso de síndrome gripal, a recomendação é procurar um serviço de saúde o mais rápido possível. A vacina contra a gripe não é capaz de eliminar a doença ou impedir a circulação do vírus. Por isso, as medidas de prevenção são tão importantes, particularmente durante o período de maior circulação viral.
Os sintomas da gripe são: febre, tosse ou dor na garganta, além de outros, como dor de cabeça, dor muscular e nas articulações. Já o agravamento pode ser identificado por falta de ar, febre por mais de três dias, piora de sintomas gastrointestinais, dor muscular intensa e prostração.

Perfil das vítimas mais recentes:
Mulher, 52 anos, óbito em 18 de junho
Homem, 89 anos, óbito em 23 de junho
Mulher, 69 anos, óbito em 24 de junho

Ler 2476 vezes
Entre para postar comentários
Go to top