Brasil encara Colômbia de olho no G4

Com os pés no chão, mas confiante, a Seleção Brasileira enfrenta a Colômbia nesta terça-feira, às 21h45 (de Brasília), na Arena Amazônia, em Manaus, com o objetivo principal de entrar na zona de classificação direta à Copa do Mundo da Rússia. Quinta colocada nas Eliminatórias com 12 pontos - os adversários têm 13 e estão em terceiro -, basta à equipe vencer para atingir a meta. No entanto, o jogo pela oitava rodada está sendo encarado como um dos mais difíceis de toda a caminhada.

O técnico Tite comanda a Seleção pela segunda vez e repete o time inicial da vitória em sua estreia por 3 a 0 sobre o Equador em Quito. Repete, também, o esquema tático 4-1-4-1, visando uma adaptação cada vez maior dos jogadores e, consequentemente, uma evolução no rendimento do time. “A gente quer repetir uma partida igual ou melhor do que contra o Equador”, disse. “Falamos em desempenho, jogar bem, repetir padrão. Resultado mais desempenho gera confiança”. Ele destacou a qualidade do time colombiano. “Mas a gente vai procurar neutralizar essas qualidades”.

Até agora, a Seleção não conseguiu duas vitórias seguidas nas Eliminatórias. Se fizer isso nesta terça-feira, subirá bastante na tabela de classificação. Apesar de ser essa a meta, não é uma obsessão. “Somos consciente da oportunidade que temos. Isso nos motiva, poder somar seis pontos. Mas a classificação agora não é tão importante quanto no final”, ponderou o lateral-direito Daniel Alves. “Agora é importante ter uma equipe sólida, organizada”.

Tanto Tite como os jogadores, de maneira geral, esperam um jogo de alto nível, até pela qualidade técnica das duas equipes. Mas reservadamente temem que os colombianos possam apelar para provocações e mesmo para a violência, como ocorreu nas últimas vezes em que jogaram, quando Neymar foi a maior vítima.

Na memória dos atletas, por mais que disfarcem, ainda está vivo o lance da Copa do Mundo de 2014, quando uma joelhada de Zuñiga quebrou uma vértebra de Neymar e o tirou do Mundial no Brasil. Desta vez, Zuñiga nem sequer foi convocado por José Pekerman, o argentino que treina a Colômbia.

Existe preocupação sobre como Neymar vai reagir caso volte a ser caçado pelos colombianos - ele não costuma resistir às provocações. Por isso e apesar das negativas, Tite e alguns jogadores conversarão com o craque, para “acalmá-lo”.

Neymar parece tranquilo. Tem sido um dos mais brincalhões do grupo e em Manaus tem atendido pacientemente os fãs. Nesta segunda-feira, por exemplo, após o almoço, passou cerca de 15 minutos dando autógrafos e fazendo selfies com os torcedores que esperavam por ele no saguão do hotel que hospeda a delegação. Atendeu a todos, embora quase não tenha dado sorrisos.

FREGUÊS - A rivalidade recente entre Brasil e Colômbia está mais ligada à virilidade em campo do que à história. Os brasileiros têm ampla vantagem sobre os adversários, com 18 vitórias em 29 jogos. Foram oito empates e apenas três derrotas (em 1985, 1991 e no último confronto, na Copa América de 2015 no Chile, por 1 a 0, jogo em que Neymar se envolveu em confusão com os rivais depois do apito final do árbitro).

Mas nas três últimas vezes que as seleções se encontraram em Eliminatórias, duas delas no Brasil, ocorreram três empates por 0 a 0. As informações são da Agência Estado.

 

Ler 636 vezes
Entre para postar comentários

Clima

banner WEB 368x390px

STYLOSHAIR

TV Funvic Banner Slide 01

Go to top